Casa Modernista e a Semana de 22

Há exatos 90 anos, nesta mesma semana de fevereiro, um grupo de artistas e intelectuais, movimentava o Teatro Municipal de São Paulo – na época com 11 anos apenas – propondo uma revolução estética que marcaria para sempre o modo de olhar as artes plásticas nacionais, colocando na liderança a emergente e “futurista” Paulicéia Desvairada.


Curiosos, estudantes, políticos e pessoas da elite paulistana “disputaram a tapas” os convites para ver o que havia de mais inovador em termos de pintura, escultura, literatura, música culta e arquitetura. Os saguões do teatro estavam repletos de cavaletes revelando aos privilegiados o que seria o ponto de partida para uma revolução no mundo das artes.


Hoje, a cidade esconde vários lugares interessantes para conhecer um pouco da história desta década. O LIS foi conhecer a casa onde morou Gregori Warchavchik, o arquiteto mais famoso da época. Na contramão da tendência rebuscada da época, Warchavchik elimina os excessos e cria uma casa arquitetonicamente limpa, livre de decorações desnecessárias e aberta à natureza ao redor. Embora ao longo dos anos a casa sofresse alterações, o resultado vale a pena ser visto. Abaixo, uma seleção de fotos para dar um gostinho de ver um pouco mais.



Desabafo do arquiteto: triste é saber que a este espaço tão importante para a história brasileira, não foi definido um uso que trouxesse a vida ao lugar. Fica a dica para que a sociedade se mobilize a fim de que não percamos mais este edifício tão significativo para o Movimento Moderno.


Endereço: Rua Santa Cruz, 325. Vila Mariana, São Paulo, SP. De terça a domingo, das 09h00 as 17h00.

Por Fabrício Forg

Nenhum comentário:

Postar um comentário