São Paulo: 10 coisas que você tem que fazer quando chegar aqui

Seja de passagem ou de mudança, São Paulo surpreende a todos pelo seu tamanho. Viver aqui é a eterna vontade de morar em outro lugar, mas sempre com aquela vontade de ficar mais um pouco.


Mas, a cidade cinza também esconde atrações que a tornam um pouco menos difícil de entender e, por isso, separamos 10 coisas que você tem que fazer antes de morrer deve fazer para se sentir parte desta selva de pedra:



1. Comer pastel de bacalhau e conhecer o mercado municipal!




2. Visitar um arranha-céu e ver como a cidade (também) é bonita de cima. Dá para fazer isso nos prédios Altino Arantes (antigo Banespa), Terraço Itália, Edifício Martinelli ou no restaurante Skye, do Hotel Unique (e que tem uma das vistas mais fantásticas a noite).




3. Fazer compras na 25 de Março (Sim, ela estará lotada em qualquer dia ou horário, mas vale conhecer e entender porque você encontra TUDO lá).



4. Passear pelas polêmicas ciclo faixas (dica: a da Paulista depois que terminar a reforma ficará incrível) e descansar em um parklet, que são espaços urbanos semelhantes à praças instalados na rua, no lugar das vagas de carros.



5. Passear pela praia dos paulistanos, a Avenida Paulista. Começa da Avenida Consolação sentido Paraíso e veja todo o tipo de atração: Elvis, Michael Jackson (eles não morreram, fazem show na paulista), manifestantes, artistas circenses...



6. Assistir a um jogo no Pacaembu, que ainda é o estádio queridinho da cidade (e que tem uma arquitetura linda)



7. Ficar na cidade em um feriado prolongado. Sério, a São Paulo fica vazia, com cara de interior em alguns bairros, e dá para aproveitar tudo que ela tem de melhor, numa boa!



8. Saborear uma boa pizza paulistana. A cidade reúne tantas pizzarias que daria para comer, todos os dias, uma pizza diferente durante muitos anos. Algumas são clássicas como a da Dona Veridiana, Braz ou Speranza.



9. Viver a cena cultural da cidade. Aqui tem tudo – de shows ao ar livre a grandes musicais -, e para todos os bolsos. Quer ser paulistano(a) mesmo? Conheça o espaço de teatro Satyros, na Praça Rossevelt.




10. Ser hipster por um dia. Aqui (quase) ninguém está nem aí para você e, em alguns locais, é muito comum você ver o mais variado tipo de estilo. Então, se bateu aquela vontade de ser descolado, adotar um turbante (que nós adoramos!), usar uma burca, a Avenida Paulista é o seu lugar!



Mas afinal, quem é Charlie?

Há alguns dias, temos acompanhado um monte de gente falando sobre o Charlie Charlie Challenge, basicamente uma versão 2.0 da brincadeira do copo ou do compasso – se você tem mais de 25 anos deve se lembrar, afinal, #QuemNunca?




Para participar, basta desenhar em uma folha em branco um quadrante com quatro respostas (sim e não), colocar dois lápis no meio formando uma cruz e ...  o resto você já sabe: evoca o espírito, alguém mexe propositalmente o lápis e pronto, temos uma entidade em casa.




A brincadeira tomou conta da internet durante a semana passada e agora foi revelado o motivo: trata-se de uma estratégia de marketing para o lançamento de um filme de terror chamado A FORÇA (The Gallows). A produção fica por conta de Jason Blum, o mesmo da franquia Atividade Paranormal, Sobrenatural e Uma Noite de Crime.  Olha o trailer aqui embaixo:




Depois disso, é só esperar o próximo hit da internet e se engajar novamente! Ah, na brincadeira (e no filme), Charlie é um menino mexicano que morre e se torna um espírito maligno....e, bom, é isso!

Fina Estampa

Vocês sabem que gente ama novidades! E desta vez garimpamos um nome que está se destacando no universo da moda para apresentar a vocês. É a santista Lorena Prado, que tem um trabalho incrível em estamparia, cheia de cores e formas.







Destas estampas, surgem diversas peças como cangas, biquínis, almofadas, e tudo mais que possa ser encapado com tecido. O destaque fica para as roupas de banho, que devem bombar no próximo verão. 





Por isso, o LIS conversou com ela para saber sobre inspirações, tendências e como não erra na hora de ir para a praia ou piscina.


1 - De onde surge a inspiração para produzir as estampas?
Geralmente me inspiro na natureza e nas influências estéticas de lugares que estive. Para desenvolver uma coleção costumo escolher um tema do meu interesse - no momento que estou vivendo -, e me aprofundar nele. A partir daí, busco mais referências, que é um bom motivo para estudar e conhecer coisas novas. Tudo isso despertam novas ideias.

2 -  Um dos grandes destaques de seu trabalho é a linha de roupa de banho. O que a mulher brasileira gosta na hora de ir à praia ou a piscina?
Acredito que sentir-se bem consigo mesma, pelo conforto e por um biquíni que valorize suas formas.

3 - Você pode antecipar o que será tendência no verão 2016? 
Para ser bem honesta, eu não costumo me ligar tanto no que vai ser tendência. Acho que quem trabalha nesta área acaba sem querer seguindo um rumo parecido ou então fazendo um caminho contrário, procurando algo totalmente na contramão. Porém, acho que para o próximo verão aposto na tendência de peças com uma pegada de artesanato, seja em tramas, texturas ou recortes. Uma continuação dos anos 70, com os maxi acessórios e o branco, que sempre valoriza um belo bronzeado.

Já no meu trabalho, como eu desenvolvo estampas, não tem como fugir das cores. Parte das minhas criações terá o Havaí como tema. Na contramão, também estou criando uma linha chamada “Solids”, com modelos em preto e branco, que nunca saem de moda. Aos poucos estou desenvolvendo outros modelos que tem tramas e recortes. Como a marca é nova, estou sentindo caminho que devo seguir para ir aumentando as opções de acordo com a necessidade.

4 - Quais os erros mais comuns na hora de escolher um biquíni ou maiô?
Cada pessoa tem um estilo e gosto diferente. Mas na hora de escolher uma peça, é importante optar por escolhas que valorizem seu corpo, sendo adequado à idade e ao tamanho da pessoa. Além disso, vale a dica de encontrar uma peça que valorize o seu tom de pele. Mas, no final, a escolha da cliente fica de acordo com o que ela gosta.

5- E os complementos (saídas, cangas)? O que não pode faltar no look na hora de ir à praia ou piscina?
Saídas de praia e cangas são essenciais na época de calor e a escolha de quais peças usar depende da ocasião. Se você vai da praia, direto para um restaurante é legal estar com um short bacana e uma bata ou vestido que dê para ambas as situações.  Mesmo para ficar em casa à vontade, basta optar por um vestidinho confortável ou uma canga por cima do biquíni ou da roupa íntima. Eu procurei fazer peças que fossem versáteis para poder usar fora da praia também.


Para conhecer mais o trabalho de Lorena Prado, acesse www.lorenaprado.com.br ou  www.mohit.com.br .

Eataly chega a São Paulo

A cidade de São Paulo recebeu nesta semana o Eataly, um espaço amplo que reúne além de diferentes itens gastronômicos vindo diretamente da Italia, restaurantes e cafeterias, se tornando mais um templo gourmetizado na capital paulista.



O conceito do Eataly foi criado em 2004 e, depois de 3 anos de pesquisa e planejamento, abriu sua primeira loja em Turim, na Itália em janeiro de 2007. Desde 2004, a marca criou e comprou ações de empresas de alimentos e bebidas de alta qualidade e hoje tem ou é parceiro de mais de 19 empresas que produzem ou distribuem alimentos italianos de alta qualidade, incluindo: água, bebidas não alcoólicas, vinhos, carnes frescas, carnes curadas, queijos, massas, doces, assim como uma agência voltada ao turismo gastronômico.




Não é para menos que São Paulo foi escolhida para ser a primeira cidade a receber uma loja Eataly na América Latina. Aqui é onde vive o maior número de italianos fora da Itália. O espaço possui 4.500 m2, onde existem 19 pontos de alimentação em meio a um mercado com mais de 7.000 produtos italianos ou de produtores locais, que seguem as receitas tradicionais. A loja ainda terá um espaço dedicado a workshops e eventos. Tudo para lembrar que a vida é muito curta para não comer e beber bem.

.

Rio de Janeiro recebe mostra de filmes clássicos

Filmes que marcaram a história do cinema e que são fundamentais para todos os cinéfilos estão no 'Clássica", projeto que leva cópias restauradas em digital (DCP) dos clássicos do cinema internacional ao circuito comercial do país.



O lançamento do "Clássica" será  em 28 de maio, no Rio de Janeiro, no Espaço Itaú–Botafogo, dentro da comemoração dos 10 anos do cinema. No evento, poderão ser vistos os sete primeiros filmes do catálogo do "Clássica" que ficarão em cartaz por uma semana e, a partir de julho, serão lançados um a um, mensalmente, em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Salvador, Porto Alegre, João Pessoa e Santos.





O "Clássica" vai apresentar o cinema do mestre sueco Ingmar Bergman com duas das mais fundamentais obras da sua filmografia: O Sétimo Selo (1957) e Morangos Silvestres (1957). Do italiano Federico Fellini, serão duas de suas obras-primas: A Doce Vida (1960) e 8½ (1963). O Clássica trará ainda, de Pier Paolo Pasolini, Mamma Roma (1962); e do diretor alemão Werner Herzog, Nosferatu - O Vampiro da Noite (1979) e Fitzcarraldo (1982).


Espaço Itaú de Cinema - Botafogo:
Praia de Botafogo, 316 
Botafogo - Rio de Janeiro/RJ 
(21) 2559-8750

Kyowa + Fabrício Forg: cultura indígena no decor

Confirmando mais uma vez sua vocação em estar à frente das tendências do design e decoração, a loja Kyowa Tapeçaria lança neste mês, com exclusividade, a sua coleção de tapetes inspirados nos mais importantes símbolos da cultura indígena brasileira, fabricados pela Tapetes São Carlos. Para apresentar a novidade, a tapeçaria convida o arquiteto Fabrício Forg para participar do projeto Vitrine Design – mostra que reúne os mais renomados profissionais da arquitetura e decoração. Forg assina o espaço de uma de suas mais importantes lojas, localizada no bairro Gonzaga, em Santos (SP).



Ao todo, seis itens compõem a coleção e todas as peças são produzidas de forma sustentável e com 100% das matérias-primas recicladas. A arte fica por conta dos índios da ONG Opção Brasil, que produziram o grafismo de cada estampa.



“Sou apaixonado pela nossa cultura e estudioso do design produzido no Brasil. Fazer parte desta parceria me possibilita compartilhar este conhecimento e demonstrar quanto a cultura dos índios brasileiros é valiosa e está presente em nosso dia a dia, mesmo quando não percebemos”, afirma Fabrício.             
        



Para a vitrine de lançamento, Forg reproduz o clima das aldeias, resgatando a importância da geometria sagrada estampada nos tapetes como obras de arte. A base do projeto mescla diferentes peças produzidas por designers brasileiros, remetendo aos bancos e redes, os primeiros móveis produzidos na Terra do Pau Brasil.



Além disso, a iluminação dramática em tons de verde reforça ainda mais o clima de floresta, destacando os tapetes com fachos de luz, em alusão à inspiração divina e a religiosidade destes povos, razão pela qual estes desenhos foram elaborados na maioria das vezes.



“A nova coleção da Kyowa reforça a vanguarda da empresa quando falamos de tendências. Pensar na cultura indígena é pensar em sustentabilidade e como podemos oferecer cada vez mais soluções que despertem o interesse de nossos consumidores, reduzindo o impacto ambiental”, afirma Walid Abdouni, diretor executivo da Kyowa Tapeçaria.




A nova linha de tapetes da Kyowa é fabricada pela empresa Tapetes São Carlos e traz as cores e os traços inspirados no trabalho produzido pelos primeiros habitantes de nosso país. Já os grafismos da nova coleção da Kyowa reproduzem os desenhos e símbolos presentes nos corpos e no artesanato dos habitantes das tribos, em momentos importantes da comunidade, como festas e cerimônias religiosas.